janeiro 23, 2009

Superando a crise conjugal


CRISE: Período difícil na vida de uma pessoa ou de uma sociedade de cuja solução depende á volta a um estado normal. Na anormalidade não há felicidade.

1 – É preciso saber distinguir os sintomas da crise. Se detecta uma enfermidade por seus sintomas. Quando surgem dificuldades na convivência, no relacionamento e na intimidade do matrimônio, significa que algo vai mal.
Sintomas de uma crise conjugal

a) Silêncio, in-comunicação,
(diminuição do diálogo – os cônjuges devem entrar no mundo do outro – falar a mesma língua). Muitas das vezes há barreiras na formação secular. Seja interessada/o nos assuntos dele/a. Seu trabalho, hoby, lugares, dificuldades que passa, dê atenção. Converse
b) Descontentamento com tudo, e não põe pra fora (nada agrada, tudo da casa dos outros é lindo).
c) Desinteresse pelas coisas do lar, do casamento, dos filhos (até vida sexual conjugal que é benção)
d) Discussões e gritarias (as vezes) sem motivos, (irritabilidade, raiva mimosa vira ira verdadeira)
e) Críticas injustas, ingratidão (Crítica destrutiva é feita por toda pessoa que se julga superior ou melhor, ou sente necessidades de se parecer melhor).
f) Desatenção premeditada em sinal de vingança, (famoso fazer de conta que não existe), (famosas dores de cabeça, cansaço...)
g) Isolamento do cônjuge e se achega mais aos filhos (inclui favoritismo), (ou amigos).
h) Demora para chegar em casa e pressa para sair de casa (prazer na rua)
i) Ciúmes infundados e ameaças por causa disso. CIÚME: Inquietação mental causada por suspeita ou receio de rivalidade no amor ou em outra aspiração. (famosa cenas de ciúme).

2 - Tomar as imediatas providências, é preciso coragem para isso, sem perda de tempo, antes que a enfermidade se agrave e ponha em perigo de morte o enfermo. Isto significa:
Buscar ajuda de Deus.

a) Falar com sinceridade sobre tal situação ou atitude.
b) Procurar a ajuda de um conselheiro capacitado e de confiança. (não qualquer um, principalmente do sexo oposto)
c) Tratar de descobrir a causa ou as causas do sintoma.
d) Não depositar toda a culpa sobre a outra pessoa e nem toda sobre você. Cada cônjuge tem responsabilidade sobre seus problemas e os dois pelo problema conjugal familiar. Não existe causa que inclua apenas um dos cônjuges. O problema de um, também é problema do outro, Lc 6:41-42. (Quando errados, sempre buscamos alguém para jogar a culpa, do tipo fiz porque...... não tenho culpa foi o...)
e) Cada qual deve perguntar-se a si mesmo: Quais são meus defeitos e falhas? Onde estou errado? Quanta culpa tenho eu do que está acontecendo?, 1Co 2:11.
f) Saber perdoar. Quem não sabe perdoar, alem de provar sua pouca inteligência, não sabe amar, é cego e se arrisca a não ser perdoado por Deus, a quem pedimos continuamente misericórdia e perdão, Mt 6:14-15; 18:21,31-35; Mc 11:25,26; Lc 6:37.
Nunca o cônjuge é tão grande como quando é humilde.
Um cônjuge que sabe pedir perdão, jamais naufragará.
g) Recuperar o verdadeiro sentido do matrimônio. Depois do amor para com Deus, nada existe maior que o amor para com uma pessoa, e no casamento é o cônjuge, Mt 19:5-6; Ec 9:9; 4:9-12.
Restaurando o relacionamento conjugal, teremos o relacionamento fraternal solucionado, e o relacionamento da igreja também.
O diabo não apanha nada, senão o que lhe dão.

AMOR O QUE FAZ?
1-Amor divino, amor de Deus e amor de sentimentos
a) Dá sentido a vida;
b) Cura as feridas da alma;
c) Perdoa as ofensas;
d) Apaga os ressentimentos;
e) Muda os pensamentos;
f) Não faz mal a ninguém;
g) Liberta das enfermidades mentais;
h) permite amar os inimigos;
i) reconstrói os casamentos em crises;
j) Une os membros da família;
k) Faculta ao homem para esperar, para crer, para suportar, para calar, para sofrer, 1Co 13.
Com que classe de amor você está amando a seu cônjuge?

2 – CUIDANDO DA CRIAÇÃO DOS FILHOS – Ef 6.4 - “Os pais estão no lugar de Deus perante os filhos menores. Responsabilidade de controla-los e conduzi-los nos caminhos do Senhor. Quanto aos filhos: Tem que obedecer, Pv 10.1

3 – CUIDADO NA BUSCA DOS BENS, CUIDANDO DA VIDA FINANCEIRA – Fl 4.11,19 =>
Contentamento, isso nada tem a ver com comodismo. O grande mal tem sido o consumismo, um sempre esconde do outro. Levando uma vida mentirosa. Boas perguntas: QUANTO GANHO? QUANTO MEU ESPOSO GANHA? QUE DÍVIDAS ELE TEM? QUE DÍVIDAS EU TENHO?
Um homem endividado é nervoso, frio, desanimado, bruto, fugaz, hipócrita (e assim gasta mais e mais para parecer que tem), (Deve ser observado pela esposa ou pelo esposo)
O QUE EU DESEJO ESTÁ DENTRO DE NOSSO ORÇAMENTO?
COMO PODEMOS RESOLVER JUNTOS ESSE PROBLEMA?
VOCÊS RESOLVEM OS PROBLEMAS JUNTOS?
TEM TIDO CUIDADO PARA NÃO COMPETIR COM TEU PRÓPRIO CONJUGE? Ec 4.9-10.




Fonte: OBereirano

2 comentários:

Julyane disse...

Oi Linda
Essa sua mensagem muitos passam e a base de qualquer relacionamento né é colocar no altar de Deus e como diz em II Crônicas capítulo 20 - Essa peleja não é vossa, e que nós não teremos que pelejar, temos que ficar firme esperando as bençãos de Deus.

MULHER CRISTÃ disse...

É Ju, conviver com outra pessoa que foi criado de outra maneira, com idéias diferentes é difícil.
Mas quando é pela vontade de Deus e Ele é o centro de nosso casamento, tudo é mais fácil e se esclarece. Nosso "matrimônio" foi criado por Ele, Ele é o autor e por isso Ele tem as respostas (o manual)pra todos os erros e defeitos. Abraços